João Vitor Rocha: Devaneios do trabalhador dedicado Dou um...

Devaneios do trabalhador dedicado

Dou um tapa em quem denegrir a imagem do senhor
Sem o senhor não teria emprego, minha família estaria na miséria
Não sei o que seria!
Eu agradeço a compaixão do senhor
O meu deus, não me imagino sem a ajuda do Sr patrão de cada dia
Sem ele, para ajudar não comeria
Sem ele para me proteger não teria teto nem telhado
Não teria restos para engrossar o caldo
Sou grato eternamente pelo suor de cada dia
O senhor me proporcionou a leitura, a luxúria do copo de vinho
Deu- me anos a mais de vida... Tenho 25
Em tempos de escravidão, seria avô de senzala
Uma vida farta dessa e alguns jogam fora, que pena
Prefiro trabalhar de sol a sol a me aventurar pela vida
Fartura pra que? Pra mim está muito bom!
Faço até bico nos dias de folga, uma horinha extra
Lá... Na vila dos pássaros escuros
Eu chamo assim, outros chamam de lixão
Vê se pode? Povo grosseiro é assim mesmo!
Bem, aqui na vila tem de tudo, até lanche de rico. Reclamar de que?
Comemos vegetais, cereais, até iogurte eu já comi por aqui.
Bom demais da conta, sô!

Inserida por JVRDentista