Catarina Portela: Corri para o mar, e senti-te a...

Corri para o mar, e senti-te a aproximar. Sorri já nem sei porquê.
Observei o que escrevias na areia e completei o teu traço.
Nesse momento passa por nós um casal de Idosos.
A Senhora sorriu. Que alegria ao cruzar aquele olhar.

O amor de criança é inocente, frágil e deambula entre miminhos, beijinhos e abraços ternos.
O amor do adolescente é fugoso, intenso, inesquessivel e eternamente marcante.
O amor de um Adulto, é mais maduro e consciente, mais preocupado e paciente.
O amor de um Idoso, é inquestionável.
É o amor que durou para sempre, é uma vida inteira em conjunto, entre beijos e discussões vorases, entre duvidas e certezas, é uma caminhada lado a lado.

Este é o amor que todos desejamos um dia.
Aquele que nos prende á vida, que nos dá prazer a cada momento.
Aquele que é eternamente intenso, eternamente incontestável.
Aquele que nos fazer sorrir de alegria e nos despedaça o coração com desilusões.
Sim, porque amar é gritar o nome do outro, em qualquer ocasião, sabendo que jamais irá embora. Porque ama e é amado.

Qual não será a minha alegria poder um dia estar a teu lado, daquela forma.
À medida que o tempo passa, este amor não se perde, amadurece.

Fico feliz por demolir o muro que estava em volta do teu coração
E que farei com as pedras?!
Simples, um lar.

Por vezes olhas-me admirado e dizes que te transformei… Não…
Eu não fiz de ti um homem diferente, eu mostrei ao mundo o melhor de ti!

Inserida por CatarinaPortela