Edmar Alvares Ribeiro: Louco? Quem? Eu? Quem disse que sou...

Louco? Quem? Eu?
Quem disse que sou louco?
Edmar Alvares Ribeiro
Segundo o Dicionário de Aurélio, louco é:
Que está fora de si; contrário à razão ou ao bom senso; insensato.

Não tenho mágoas, não tenho rancor.
Às vezes choro, também por amor.
Não sou compreendido, por uma população,
Que às vezes mata sem ter compaixão.
E ainda me chamam de louco,
Baseado em que razão?

Vivo na rua a vagar,
Procurando o meu lugar,
Se choro, quem vai me olhar?
Logo digo, vou daqui me mandar,
Quem vai se importar?
O que devo pensar?
Serei apenas mais um louco,
Que vai deixar de oportunar.

Morres por um cão ou um gato,
E de mim vives a te afastar,
Só me tens como um chato,
Não me tens nenhuma compaixão,
Só me resta chorar.

Talvez seja melhor ser louco,
Talvez seja melhor nem pensar,
Pois em meu pensamento de louco,
Não existe a vontade de matar.
Vivo neste mundo para aprender e ensinar,
Aprendi que não devo morrer nem matar,
Ensino que na minha loucura,
Não existe espaço pra magoa guardar,
Vivo sofrendo, talvez por não ter a quem amar.

Sentir o que sinto, sofrer o que sofro,
Chorar como eu choro,
Se vivesses o que vivo,
Talvez deixasse você louco,
Não teria forças pra agüentar,
Na certa serias mais um louco na rua a perambular.

Sou louco por não pensar em matar?
Sou louco por não pensar em guerra?
Então, como me chamas de louco?
Eu não invento guerras,
Pois, em nada disso vivo a pensar.

Pergunto eu, porque dizes que sou louco?
Só por que vivo ao relento, sem com nada a me importar?
Porque vivo levando vento, sem ter ninguém pra me amar?
O louco também ama, também chora, também quer bem.
Hoje acho que sou louco, por não pensar igual a vocês,
Não penso em abandonar ninguém, mais fui abandonado,
Não penso em maldade com ninguém, mais sou magoado,
Então, tenho certeza, sou louco, pois não penso igual a vocês.

Inserida por ear1978