Jaak Bosmans: Ópera dos interior. Começam os acordes...

Ópera dos interior.

Começam os acordes do velho acordeão,
Em leque que brinca de abre e fecha.
Entra junto, a melodia simples da rabeca.
Que chora feliz fora do ombro.

Nesse momento se inicia a ópera em uivos tristes.
Da terrível dor, que faz o “tíu” latir.

Falta ritmo! Falta um batido.
E começa escondido o ritmo proibido
De um triângulo amoroso.
Ela, ele e ele; e às vezes ele, ela e ela.

Assim a dança começa,
Sem ter hora de nunca acabar.

Apeia do cavalo o coronel
Que manda calar o “tíu”.
Aos pouco o ritmo diminui.
Separando aqueles vértices.

Acordeão e rabeca,
Isto é casal comum.
Não dá dança, e acaba a festa.

Jaak Bosmans 2 -11- 2008

Inserida por JaakBosmans