Rodrigo de Almeida: Não sou a verdade Nem a vaidade Talvez...

Não sou a verdade
Nem a vaidade
Talvez a sinceridade
Ou quem sabe lealdade

Sou o sentimento
Naquele tormento
Com vontade de chorar
Há beira mar

Não sou metamorfose
Nem sofrimento
Sou um homem
Com grandes sonhos

Sou a vida
Sou a fila que anda
Que não passa
Mais fica sempre no mesmo lugar

Quem seja o mar
Ou talvez o ar
Viver é amar
Sempre havera lugar.

Inserida por Ogirdor