Tamillis Rodrigues: Sentada naquela praça, o coração...

Sentada naquela praça, o coração ardendo a esperança de te ver. Mas não. Nem sei por onde anda. Saber que ainda pergunta por mim - nem que seja só por custume; me fez pensar no quanto eu ainda te quero. Já que não posso simplesmente pegar o celular, te ligar e falar de tudo que ainda sinto.. me contenho em escrever, como se você fosse algum dia ler isso aqui. Não importa o sentimento que tenho por você, não importa mesmo. Até ele me invadir, como hoje. Traduzir o coração em palavras e não deixá-las na boca, pedindo para sair - não é facil, e quem disse que seria? Eu nem sei ao certo por que continuo fazendo isso, talvez para mostrar o que vivemos, com todas as particularidades que eu possa vir a trascrever, afim de reviver tudo de novo. Afinal, vida é para ser vivida e depois relembrada. Para eternizar com palavras a intensidade dos sentimentos contidos no coração. Em todo lugar que eu olho alguma coisa me lembra você, e isso desperta o gigante adormecido. Me vem uma vontade de te descrever para mim. Tentar assim me convencer o por que de ainda estar metida nessa. Viver sonhando, mas saber que esse sonho está bem longe da realidade. Será que não existe mais ninguem no mundo? Por que que eu continuo tão presa em alguém que me faz rir, mas que mente. Que me dá presentes fora de época, mas compensa o tempo esperado. Um amor que compra chocolate e até aliança. Minha solução para aqueles dias chatos. Porque não importa o que, quando e onde, se é contigo o que eu sinto é felicidade. Felicidade quando você abraça apertado, não querendo soltar mais, e sua insistencia em dizer que me ama sim, e que ainda acredita nesse casamento. A verdade é que adoro seu abraço que me desarma, sua risada quando eu falo coisas bestas. Você me olha lindo, lindo, lindo. E eu passo a madrugada inteira pensando que alguns momentos na vida são simples demais para serem esquecidos. Fragmentos de felicidade. Pedacinhos de ontem que hoje me fazem escrever. As vezes te conto um segredo. Você ri de mim porque não tem idéia de que eu fico emburrada por bobagens. Eu que queria tanto que você me adivinhasse. Hoje acho graça. Você que entende tudo de mim e às vezes esquece. Queria que me adivinhasse e me ligasse.

Inserida por Tamillis