Jaquinha: Não sei que dívida temos para com o...

Não sei que dívida temos para com o destino que nos leva a percorrer caminhos tão estranhos!
Infinitas vezes perguntei, num murmúrio que se desfaz em silêncio… será possível, em tempo como este, viver vidas antigas, histórias sagradas que se sentem como um beijo profundo?
Serão ecos de outra era, tempos imemoriais em que deuses caminhavam na terra como gigantes? Terá sido o pó das estrelas que nos tivesse aspergido este querer, esta vontade, esta ideia de um amor que teima em não morrer?
Se pecado há, é este de crer teimosamente no sonho que nos resgata da miserável lei da vida. Contigo abandono a terra e faço-me luz!


Amei com exagero e intensidade. Com força, ternura, paixão, loucura.
Sofri o desespero de quem ama sem saber o porquê de tal ironia!
Amei muitas vezes o teu silêncio, a tua ausência, a tua indiferença.
Amei-te de corpo e alma.
Amei, até esgotar o louco desejo de te amar...


"Quando alguém encontra seu caminho, precisa ter coragem suficiente para dar passos errados. As decepções, as derrotas, o desânimo são ferramentas que Deus utiliza para mostrar a estrada."



"Na vida, não existem soluções. Existem forças em marcha: é preciso criá-las e, então, a elas seguem-se as soluções." (Antoine de Saint-Exupéry)

Inserida por jaquinhaa