Erasmo Shallkytton: AMO-TE COM PROFUNDEZA Confesso-te que o...

AMO-TE COM PROFUNDEZA


Confesso-te que o meu amor é profundo,
É como uma larga extenção de água do mar,
Transparente e firme, verde ora todo azul,
Às vezes cinzento quando não posso te amar.

Neste oceano exposto na melhor inclinação,
Arrasta o meu coração com imensa oblação,
Sacudindo em ondas a nossa íntima afeição,
Absorvendo no fundo do mar essa aclamação.

Em viagens e sonhos, navegaremos no azul,
Rodeando o planeta sem rumos e horizontes,
Na aventura náutica sem bússola será só amor,
Do ribeirinho que aflige nos lábios com beijos.

Milhas e milhas marítimas serão os desejos,
Rematando as salinas em nossos corpos quentes,
Provocam súplicas sem quaisquer embargos,
Alarido das águas balança todo o meu ente.

Farei como Júlio Verne no meio oceânico,
Nos portos avistarei novas agulhas magnéticas,
Fixando somente no teu olhar a vastidão do além,
Imergindo a deusa que me faz tanto sonhar.

Com a forte iluminação das minhas pupilas,
Dar-te-ei a com prazer a mais bela lua de Júpiter,
E Ganimedes será sempre a mais bela lua,
Que somará nestas águas o eterno desejo de ter.

A dona do amabilíssimo ser navegante,
Neste oceano exposto na melhor inclinação,
Arrasta o meu coração com imensa oblação,
Considerável exame de sentimentos e dedicação.

Inserida por Shallkytton