Montesquieu: A maioria dos homens é mais capaz de...

A maioria dos homens é mais capaz de grandes ações do que de boas ações.

O dinheiro é valioso desde que saibamos desprezá-lo.

Raramente começa a corrupção pelo povo.

Combater a religião é atentar contra a sociedade.

O saber faz o homem ponderado e insinuante.

A sociedade é a união dos homens, e não os próprios homens.

A sociedade dá-nos a conhecer o ridículo; o retiro nos ensina a sentir os vícios.

O que aos oradores falta em profundidade sobeja em extensão.

Há duas espécies de homem: os que pensam e os que divertem.

Deveríamos chorar os homens quando nascem e não quando morrem.

É mais fácil passarmos aos filhos as nossas paixões que os nossos conhecimentos.

O homem não é pobre por não ter nada de seu, mas por não trabalhar.

As repúblicas encontram o seu fim com o luxo - as monarquias com a pobreza.

A vida do cortesão é uma constante servidão.

A maior ofensa que podemos fazer aos homens é ir de encontro aos seus costumes e cerimônias.

A liberdade é o direito que temos de fazer tudo quanto as leis permitem.

O pior governo é o que exerce a tirania em nome das leis e da justiça.

Quando, num país, o infortúnio se generaliza, o egoísmo, por sua vez, se universaliza.

Quando pretendemos mudar costumes e modos, guardemo-nos de o fazer pelas leis.

Inúmeras são as leis que vigoram desde a antiguidade, não por serem justas, mas por serem leis.

As leis são sempre úteis aos que possuem e prejudiciais aos que nada têm.

O homem piedoso e o ateu falam constantemente em religião: aquele fala do que ama; este do que teme.

Inserida por Calypso