Rô Smith: Solidão Estou na solidão, mas não me...

Solidão

Estou na solidão, mas não me sinto só.
Aprendi a conviver com ela, não por falta de amigos, mas porque preciso me conhecer.
Descobrir as coisas que gosto sem a necessidade de saber o porquê gosto.
Preciso me descobrir.
E não havia outro modo de conhecer-me;
se não estivesse só em minha companhia.
Olhei pela primeira vez e me vi por inteira.
Não diante do espelho, pois minha imagem sempre esteve lá, mas não era eu.
Foi na sombra que me vi pela primeira vez.
Eu sou essa que agora se expõe;
que se desnuda em palavras e mostra sua fragilidade.
Sou fraca quando preciso da força,
sou amante quando o que preciso é ser amada,
sou risos quando a lágrima desponta.
Eu sou a que cai, mas sempre levanto!
Desta maneira assim, descobri a minha mortalidade, a fragilidade, a simplicidade da minha vida.
Não sou o ontem, quiçá nem venha ser o amanhã, mas com certeza sou a urgência do hoje!

Inserida por Ro-Smith