Tolo: Antologia de um Tolo - Parte 1 Pronto,...

Antologia de um Tolo - Parte 1

Pronto, decidi! Decidi começar a escrever a cerca do que sinto. Talvez não adiante de nada, mas mal creio que não fará.

Pensei que seria fácil confessar-se emocionalmente para um computador, afinal, ele é sempre tão imparcial. Não me dirá o que tenho ou o que não tenho que fazer. Não me criticará e nem me surpreenderá com comentários desanimadores. Sei exatamente como ele se portará independente do que eu diga. Ele sempre estará aqui, diante de mim, sem proferir uma palavra se quer. Sem esboçar nenhuma reação a não ser o barulho de suas teclas sendo tocadas lentamente por meus dedos ainda amadores na arte de digitar. Talvez por isso seja tão difícil.

Sim, claro. Por que não conversar com um amigo? Alguém com que eu possa compartilhar minhas mais formidáveis desventuras. Alguém que sempre estará ao alcance de meu celular e no limite de meus créditos. Alguém que talvez só exista em minha imaginação...

Às vezes sinto vontade de literalmente extravasar. Sim, extravasar, gritar o mais alto que minha voz permitir, chorar até cair a última gota de minhas lágrimas. Dançar até depois de a música acabar. Fazer coisas que sempre me imaginei fazendo, mas que por ter uma sanidade a zelar sempre tive que me conter.

Por ora acho que a loucura já me alcançou. Mas dizem que quando temos dúvidas quanto a nossa sanidade não estamos loucos uma vez que os loucos têm a total convicção de que estão sãos. Aí eu me pergunto: não estaria eu usando essa afirmação apenas para negar meu atestado de demência?

Chega!

Quarta-feira, 27 de agosto de 2008, 01:42:44

Inserida por Tolo