Eduardo de Paula Barreto: DOCE PESADELO Eu estava me enforcando...

DOCE PESADELO



Eu estava me enforcando

Pendurado em seus cabelos,

O ar foi me faltando,

O coração quase parando.

Que terrível pesadelo!



Você dizia: — Não mais o amo

E nem quero tê-lo.

Eu sofrendo ia chorando,

Desidratado definhando.

Que terrível pesadelo!



Me vi sendo jogado

Nu num monte de gelo,

Tremendo e paralisado,

Com o corpo doendo de tão gelado.

Que terrível pesadelo!



Mas de repente me vi acordado,

Então entrei em desespero,

Você não estava ao meu lado,

Comparei sua ausência com os sonhos sonhados,

Ah que saudade do pesadelo!



Eduardo de Paula Barreto
www.opoetizador.com


.

Inserida por opoetizador