Victor Velôso: Rapsódia de Solidão Nem mesmo a chuva...

Rapsódia de Solidão

Nem mesmo a chuva fria de novembro
Nem o calor arrasador de dezembro
São capazes de acabar com toda a dor
Que carrego do amor

Eu sentei aqui nas escadas
Porque hoje quero ficar sozinho
Não significa que não preciso de carinho
E gosto de me sentir só ao longo da estrada

Agora eu sento num trono que não me pertence
E nem por Deus desejaria lá sentado um inimigo
Muito menos um grande amigo
Agora eu entendo que ele realmente me pertence
Antes minha eterna solidão
Que ver outro em minha doce maldição

Há mais uma coisa para se considerar
Não estou aqui pedindo
Para ter com quem chorar
Estou pedindo por um pouco de compreensão
E nos meus lentos passos vou seguindo
Com esse forte pesar no coração

Inserida por Verdoso