Adriano Hungaro: SONETO DO MEU AMOR POR TODA A VIDA Ouvi...

SONETO DO MEU AMOR POR TODA A VIDA

Ouvi a voz dos raios e trovões
Gritavam lá no céu pelo teu nome
E a chuva que caia em tempestade
Molhava toda alma de saudade

Pairavam lá céu mil nuvens negras
E dentro carregavam só tristezas
Choravam por eu ter te conhecido
E o choro por aqui era granizo

Tirei você dos céus e dei-te a terra
Dei sóis, dei céus, dei mar e primaveras
Poemas murmurados pela espera
Dei luas, dei-te estrelas e quimeras

E dei-te o meu amor por toda a vida
Por querer e para amar-te minha querida

Inserida por AdrianoHungaro