Rammarazul: Vem, noite! Descansa minha fraqueza...

Vem, noite! Descansa minha fraqueza humana no murmúrio da brisa suave que canta em meus ouvidos e alegra-me. Pelo respeito da voz altiva que a natureza nos traz, não venha menos bela que quando me fez descobrir a rota das estrelas e nem entorne meu ser na vil calúnia dos dias insolentes. Docemente, seja cúmplice deste momento tão meu. Não me deixe fraquejar e me poupe do dia que me rouba as horas como um ladrão impune e de coração estreito; pois o dia transforma as pessoas em máquinas incontroláveis, e você, noite, as transmuta em si mesmas. Ah, noite amada, segue com passos lentos e estenda meus momentos até o infinito onde o medo se desmancha! Não se vá até que todas as frases sejam ditas como notas musicais; São musicais meus pensamentos! Afinal, você, noite, é das sombras, dos mistérios, dos boêmios sonhadores, mas na sinfonia do silêncio você acalanta o sono daqueles que dormem e que sonham para amenizar o dia que vem. Demora mais, noite! Assim lhe trarei o dia com a mais bela e doce brandura.

Inserida por Rammarazul