Catarina Portela: Lembras-te quando falávamos do futuro...

Lembras-te quando falávamos do futuro como se estivesse próximo?
Como me olhavas, como me fazias sentir mulher, como me chamavas linda…
Eu lembro-me como se fosse hoje, daquela sensação de certeza, de futuro. Daquela sensação de Lar e de família.
Lembro-me que estava mais tempo com a tua família, do que com a minha, e gostava…
É quase impossível explicar e entender, como tudo isto se foi, em tão pouco tempo.
Foram anos e anos a partilhar sonhos, a reforçar laços de afecto.

Tu conheces-te o melhor de mim, e de pior, tinha eu pouco nessa altura…Infelizmente crescer, não é o mais fácil da vida.

Confesso que tenho saudades, não de ti, (já que o amor se foi), mas de uma calma e um aconchego que nunca mais tive.
Há necessidades do qual não devemos abdicar, o aconchego é uma delas.
Aquele reforço de baterias, aquela sensação que te ouvem, e conseguem sentir tudo da mesma forma que tu.

Acabar com algo que se desejava, acredito que seja raro.
Afinal as pessoas tendem a ficar com o que querem, o que lhes traz estabilidade.
Eu não. Eu não escolho.
O meu coração é que escolhe, e não quero nem saber o que me diz a mente.
É no coração que reinam as emoções fortes, puras e verdadeiras (por vezes confundidas com devaneios mentais).

Estou feliz sem ti, embora reconheça que obviamente tinhas características que me faziam bem.
Sinceramente, por vezes sinto-me a lutar sozinha, mas foi bom para mim, ser dependente de alguém, é colocares-te numa felicidade limitada…

Foste o amor que desejei para sempre
E como se costuma dizer : - Foi eterno enquanto durou!

Inserida por CatarinaPortela