Andressa Rodrigues: E, sorrateiramente, teus olhos...

E, sorrateiramente, teus olhos iluminaram meus dias. Vi neles a liberdade de poder voar sem asas, a segurança de planar sobre o verde oceano enquanto ainda há tempestades se formando. Ah, e teus lábios... encontrei neles o gosto doce das frutas que amadurecem no outono. Deixa-me tocá-los mais uma vez, amor! Deixa-me sentir teu beijo - essa chuva morna em uma noite de inverno

Inserida por andressa-r