Letícia Thompson: Olhe P/Trás! Está vendo o caminho...

Olhe P/Trás!
Está vendo o caminho percorrido?
Entre quedas e tropeços, subidas e descidas, momentos bons e ruins, chegamos até aqui.
Vivemos histórias q ñ pertencem a ninguém mais.
Guardamos na memória, fatos q máquina nenhuma no mundo conseguirá revelar.
Fazem parte das nossas lembranças, nossos passos e da pessoa única q somos.
Mas, infelizmente, temos o hábito de guardar cicatrizes do q nos fez infelizes e olharmos como uma lembrança distante e apagada o q nos deu alegria.
É possível ressentir uma gde dor c/gde intensidade, trazendo à tona as msmas emoções vividas, mas como é difícil ressentir do msm jeito, uma felicidade q um dia nos fez vibrar!
O ideal seria inverter as situações.
Guardar na pele e na alma cicatrizes do q nos fez bem e nos lembrar do mal s/mta nitidez.
Guardar das pessoas o lado bom, o bem q nos fizeram e o q de bom vivemos juntos.
Talvez devesse constar c/mais freqüência as palavras perdão e compreensão no nosso dicionário.
De vez em qdo, digo, olhe p/trás!
Mas ñ se volte completamente.
Olhe apenas o bastante p/se lembrar das suas lições p/q estas te sirvam no presente.
Ñ lamente o q ficou, o q fez ou deixou de fazer.
O q é importante seu coração carrega.
Olhe diante de si!
Há esse véu encobrindo o q virá, deixando entrever apenas o q seus sonhos permitem.
Mas existe dentro de vc uma sabedoria de alguém q desbravou alguns anos da história.
Existe dentro de vc, uma força q te torna capaz!
O dia chega insistente como as marés do oceano.
Às vezes calmo, outras turbulento, mas presente sempre.
Vivo sempre.
Cada noite dormida é uma vitória, cada manhã, um novo desafio.
E vc nunca está sozinho, msm qdo se sente solitário.
Tdo o seu passado está gravado em vc, como gravadas estão as pessoas q vc amou.
Levante esse véu pouquinho a pouquinho a cada amanhecer; s/pressa, saboreando a vida como uma aventura, nem sempre como um mar calmo e tranqüilo, mas possível, mto possivelmente vitoriosa.
Construa hj as suas marcas de amanhã.

Inserida por anaferreira