Adaptado de João Renato Andrade Antunes meu irmão: Amei-te e te amo, Agora às escuras,...

Amei-te e te amo,
Agora às escuras,
Amo-te caladinho,
No silêncio sozinha,
Solitário a amar.

Como era bom o seu beijo,
Eles me faziam sonhar.
Eu desejo,
Mas não posso não quero te amar.

Amo-te mais do que Eros,
Pater ou até mesmo Ágape.
Sim é mais-do-que-divino,
Acredite você no divino ou não.

Apesar da imensidão desse amor,
Meu coração se basta, sacia-se em coisa simples,
Como nos traços delicados, quase uma flor,
Da sua face brotando um sorriso.

Ninguém precisa saber que te amo,
Nem mesmo você,
Pois eu pratico esse amor por você da forma mais simples,
Sendo quase despercebido,
Onde só os experts no amor,
Conseguem perceber.

Sua felicidade já basta para tudo isso.
Pois nem sempre a vontade do coração,
É a correta para se querer,
Dei, pois, ouvidos à razão,
Para menos sofrer.

Quase que um brilho dos meu olhos,
Escorre por esta jovial face de quem te fala.

Mas...

Ninguém precisa saber que te amo,
Nem mesmo você.
Eu desejo,
Mas não posso não quero te amar.

Mas não sei porquê,
Não consigo ficar sem te ver.
Mas não sei porquê,
Não consigo deixar de querer.
Mas não sei porquê,
Não consigo ficar sem você.

Eu devia ter ouvido o senhor tum-tum,
Nunca vi/fiz tanta burrice,
Talvez chances eu tenha no máximo em número um,
Tamanha felicidade eu teria se eu te conseguisse.

Estou amando?
Sim eu estou,
E você sabe quem...
Um enigma:
"O homem que eu amo você conhece melhor do que ninguém.
Qual a única pessoa que você conhece melhor do que ninguém?"

Inserida por NiiAntunes