Tony Fraga: MEU BARCO AO MAR Sinto que está...

MEU BARCO AO MAR

Sinto que está chegando a hora de zarpar âncora
Não mais me sinto seguro, menos ainda útil neste porto.
Vejo-me impotente, sentado à beira da plataforma sem nada fazer.

Não sei se ele ficou pequeno demais? Ou apenas monótono!

Sei, porém, que ele já não mais oferece o que eu julgo necessário à minha sobrevivência.

É hora de içar velas, e como marinheiro louco...
Seguir a direção dos ventos ou lutar contra seu ímpeto furioso

Deixar-me orientar pelo brilho das estrelas,
ou então baixar os olhos e deixa-los perdidos na escuridão da noite no mar
Ousar-me desafiar as ondas turbulentas na tentativa de conquistar o horizonte que descortina aos meus olhos,
ou permanecer na tranqüilidade e marasmo do cais.

Percebo que preciso lançar meu barco em águas profundas;
Em águas revoltas, que embora ofereçam perigo,
Também proporcionam um misto de aventura e desafio e no final da jornada a sensação de auto-realização.

É chegada a hora de desatracar meu barco;
Lança-lo bravamente em direção ao horizonte que os meus olhos contemplam;
Conquistar novo horizonte;
Ancorar em outro porto;
Caminhar por outros cais;
Buscar, beber novas águas,
E viver, ou pelo menos tentar viver os meus sonhos.

Inserida por TonyFraga