Guido Battaglia: Carta ao nosso filho que nunca nasceu....

Carta ao nosso filho que nunca nasceu.

Hoje deitei e voltou o pensamento daquela criança, aquela criatura especial que tinha que vir e nunca chegou. Achava que o meu destino nessa terra não tinha ainda acabado e pensava ter um filho, amar e ensinar muito para ele e aprender muito com ele. Mas aquele dia não chegou, o espírito sabido dele olha para mim daquele lugar onde ele esta e sorri para mim pensando: “Meu pai, aquele dia não chegou”. Queria te tirar daquela luz onde você fica nesse instante, não para te fazer mal, mas porque você mesmo tinha decidido vir para esse mundo.
Você tinha que vir para conhecer a felicidade e a dor, uma nova vida, a vida na Terra. Conhecer as leis do homem alem das leis de Deus. Você teria que me amar e, algumas vezes me odiar, teria que achar estranhos os meus comportamentos, a minha atenção escondida pela pressa de te ver se tornar o homem que eu queria você se tornasse. Sabia também que, assim como eu fiz, você também teria escolhido entre todos os caminhos da tua vida, aquele mais difícil, porque é assim mesmo que se faz a diferença entre uma pessoa comum e uma especial.
Você seria especial e as outras almas teriam se aproximado da tua luz pela tua felicidade, mas também para apagá-la, porque invejosas de você.
Você teria sofrido por isso, mas também continuado nos teus caminhos, porque a tua força é superior a qualquer desafio. Você teria se tornado o homem que você queria; escolhido a vida que você queria viver. As tuas escolhas, você faria com coragem, muitas vezes contra a opinião de todos e de baixo das criticas deles.
Você iria para frente. Na cabeça as frases dos ciumentos: “Você não vai conseguir”.
Você estaria só nas tuas escolhas, mas todo isso não significa que o que você pensa seja errado, e você teria sofrido por isso. Não fuja da dor, por quanto ela possa ser grande, enfrenta! Deixa um tempo, todo aquele que for necessário para desfrutar a vontade do sofrimento, curte ele, o abrace e o abandone. Enfrenta os teus problemas e não se sinta vencido se, talvez, você escolhe fugir. Quando você se sente só, pense que você tem uma coisa que ninguém tem: a si mesmo. Cultiva a confiança na tua capacidade, usa a tua mente, porque o teu jeito de ser é único. Você não é estranho, também se, muitos te dizem isso e muitos dizem as tuas costas. Mas será por isso mesmo que você nunca ira desistir, porque você é forte, você é especial e isso é o teu combustível. Você iria aprender como a vida é um circulo. Você se encontra no tope do sucesso e da felicidade e, de repente do outro lado do circulo. Mas, por ser um circulo, você aprenderia que depois sempre tem uma subida. Você teria se tornado um homem e um pai e tudo o que você não tinha entendido de mim você entenderia no instante de abraçar o teu filho. Tudo será mais claro e você entenderia que, o que fica na tua frente, nada mais é que o milagre da vida. Um milagre tão simples e tão difícil para se explicar. E eu não seria ao teu lado, queria te agradecer para ter escolhido ser o meu filho. Mas você não nasceu e essa é a vida e essa noite eu escrevi essa carta para você filho meu.
Guido Battaglia

.

Inserida por ITALIANOVERO