Macro: Aquela poesia preferida Justamente...

Aquela poesia preferida

Justamente acreditei ao longe
E Sorrir por apenas palavras escritas
Abracei-te ao novo patente
Argumentei meu passado
Tomei teus conselhos e situei respostas.
O tempo aquele ancião te apontou sadiamente
Nobre de tua parte conhecer o quarto escuro,
Mesmo que seja amiga da abelha,
Que por possuir meu juízo levou-me a embriagues.
Do presente ao índice,
Das belas cores de seu cotidiano apresentado
A alegria,
A compreensão e a verde limão esperança,
Em cada frase metamorfose
Belas borboletas de ceda,
O espelho ao sentido melanina,
A musa do poeta pessimista,
Que morre e sobrevivem em seus versos capitalistas.
Luzes!
Ao banhar seus traços obstinados à perfeição,
Em entrelinhas o símbolo,
O Segredo que comenta a destreza da garota
Quando lembra que amizade é um terço da verdade.



A Iuna

Inserida por Sidcleyjr