Ralfe Maciel: Aquele que foi formado para ser um ser...

Aquele que foi formado para ser um ser racional nunca viveu sua racionalidade o que de fato deve ser “Ser Pensantes”, analisadores de seus próprios conceitos, pois os atos que o mesmo pratica explica em certos pontos sua irracionalidade e incapacidade. A natureza explica que às vezes o que o homem até hoje nunca explicou, a sabedoria dos animais. Cada um interage de maneira diferente, o amor, a amizade entre se e enfim. Tudo isso explica que o vive preso em si mesmo, pois a intelectualidade que lhe foi dada é soberana, e inexplicável.
Contudo tem suas habilidades, mas o medo e abrange todas sementes de fé, sufocando e matando-as, isso é uma das causas que se torna o homem um galinha. Pois a mesma olha para cima percebe que a tela não está alta, mas tem medo de tentar voar para fora. Por isso, é sublime dizer que, “Quem nunca errou nunca nasceu” (Ralfe Maciel). Por tanto, é compreensível o lado e os sentidos da águia onde desperta em cada um de nós a curiosidade e a persistência da pergunta. Será que existe esse lado galinha e águia no ser humano? É importante considerarmos que o conceito de estado de natureza é também uma construção social e que varia de acordo com a cultura, a época, as vivências. Não há um único estado natural para o ser humano, mas vários princípios construídos ao longo da vida. Por tanto observamos que, galinhas e águias são de diferentes espécies, mas nada impediu a águia de construir sua vida e seus hábitos a partir daquele contexto social, tornando-se galinha.
Quando o naturalista pegou a águia e colocou em posição de vôo vimos que ela tremia , essa é a razão de muitos homens águias não conseguirem conquistar a liberdade, pois tem medo das “alturas” e esse medo impede que o mesmo experimente nova vida. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte nessa hora a águia pode criar coragem, pois esqueceu da imensa altura e dos riscos, tomando essa atitude pode voar alcançando as seus alvos e desejos. Às vezes o homem tem medo de voar, de ser feliz, de tentar e não consegui, tornando um homem galinha com coisas tão que complexas de ser entendida, mas apesar de tudo é preciso de ajuda como a águia, é preciso que alguém mostre o sol, ou seja, ensina-lhe a direção que deva tomar.
Cada ser humano tem uma estrutura básica que se manifesta mais como águia em alguns, mais como a galinha em outros. Cada um precisa escutar essa natureza interior, captar a águia que se anuncia ou a galinha que emerge. Após escutá-las, importa usar a razão para ver claro e o coração para decidir com inteireza. Somente assim se conquistará a promessa de um equilíbrio dinâmico
A história da águia e da galinha nos evoca o processo de personalização pelo
qual todo ser humano passa. Não recebemos a existência pronta. Devemos
construí-la progressivamente. Há uma larga tradição transcultural que
representa a caminhada do ser humano, homem e mulher, como uma viagem e uma aventura na direção da própria identidade.

Inserida por ralfemaciel