Thales Pantaleão: O Poder da Persuasão na Extensão Rural...

O Poder da Persuasão na Extensão Rural
O extensionista ao comunicar-se com o agricultor procura persuadi-lo de forma a aceitar suas idéias e modificar sua forma de agir na agricultura, porém não procurando enganá-lo, mas ajudá-lo a resolver seus problemas e melhorar sua condição financeira. Contudo, não se deve colocar em plano onde o técnico é o detentor da sabedoria e o agricultor um ser ignorante e desprovido da capacidade intelectual, fazendo um processo autoritário, antidemocrático, em que prevalece absoluto o domínio do comunicador extensionista.
É muito difícil ou quase impossível retirar da oratória a persuasão, é uma coisa que naturalmente está intimamente ligada ao ato de se comunicar.
Mesmo que seja possível um discurso não-persuasivo, este não parece ser o caso da extensão rural, que tem como ação requerer mudanças, demanda a abdicação de valores culturais, de costumes, de saberes e a adesão a novas formas de produzir, de viver e de ser.
A sociedade brasileira trás em sua cultura marcas do sistema escravista onde se tinha uma forte hierarquização e poder autoritário, possivelmente efeitos de autoritarismo na extensão rural brasileira tenha suas raízes desta época que até hoje prevalece nas relações sociais no Brasil.
Contudo esta constatação que a prática extensionista possui uma persuasão autoritária represente um ponto positivo para as discussões sobre a redefinição do papel da extensão rural no Brasil.

Inserida por thalespantaleao