Ana Margarida Amorim: (...)sempre me intrigara coisas...

(...)sempre me intrigara coisas difíceis de adivinhar, impossíveis de concordar...e por isso tento exprimir-me na idéia do sorriso, não quero asusentar-me, estou no lugar do costume, responde-me...combinam-se os ecos, imagino-os e não estou a exagerar...surpreende-te comigo mas pergunta-me tudo em silêncio...supera-te, não troces de mim que caminho ao teu lado...obrigas-me a existir porque só encontro o caminho através de ti; a noite não chega, a manhã não parte, sinto quase uma paz...encanto-me com tudo e com nada numa cadência de sonhos. Manipula-me, estou inerte...acolhe-me...carrega-me pela verdade, não há tempo...reconheço-te a arte, o talento...absorve a minha existência inteira...evita a desnecessária tendência para os pormenores...devolve-me a tua melhor parte...eu existo, sou autêntica. Quero voar contigo, avançar caminhos...caminhemos sem fazer ruído como pessoas crescidas a direccionar o mundo (...)

Inserida por aamorim2008