Ana Margarida Amorim: (...) ergo-me devagarinho com os olhos...

(...) ergo-me devagarinho com os olhos fechados e
por vezes chego a recear a minha sombra...tento
distinguir a outra margem, onde caminhas até mim desprovido de fundo...esta espera prolonga-se em infinitos segundos...apressa a contagem da tua vida (...)

Inserida por aamorim2008