Natália L.C. Bastos.: Viver é consumir-se de amor, dialogar,...

Viver é consumir-se de amor, dialogar, perder-se nos outros. A vida é a interpenetração total das almas e das inteligências.
O que seria de nós sem o sentimento que nos consome. Sim, eles no consome. Apesar das várias maneiras de ser expressado, o amor é o sentimento mais puro e mais intenso existente. Aquele que se contradiz, aquele que não possui fórmula, que não está nos livros, que não foi descoberto pela ciência, e jamais decifrado pelo ser humano.
É o sentimento que desencadeia todos os outros, é aquele que mais se contradiz, pois está bem próximo ao ódio.
É aquele que quando dizemos amar, só vemos a pessoa que domina a nossa mente, e não o coração.
O coração é apenas um órgão, que o ser humano quis botar como fonte do amor. O amor está na mente, nas sensações. Quando somos atraídos por alguém, é enviado a nossa mente sensações, enzimas de adrenalina, e de outras substância que nos fazem bem.
Eis aí, umas das minhas teorias sobre o amor.

Inserida por Natichi