Guilherme Figueiredo: CAMÕES Amor é susto que se torna um...

CAMÕES

Amor é susto que se torna um hábito
É relâmpago que se cristaliza
É não saber andar onde se pisa
É morrer de nascer, e nascer de um óbito.

É buscar o infinito andando em círculo
É velejar sem rumos e sem brisa
É crer que cada instante se eterniza
É ter a majestade do ridículo

É ter a sabedoria na inocência
É cândida nudez sem dor nem mácula
É sofrer a indecência da decência
Ser anjo Frankenstein, arcanjo Drácula

Amor é aprendizado sem lições
Que o digas tu, não eu meu bom
Camões.

Inserida por malukyta