Rubens r. a. Sousa: CALO-ME Calo-me. A saudade me cala....

CALO-ME

Calo-me.
A saudade me cala.
Tantas coisas me calam.
É um silêncio enorme.
Um vazio...

Um redemoinho sem vento,
Um conturbar-se em nada!?
Exclamo a frase
Num tempo passado.

Passado.
Passos.
Lento passo o meu dia...
Vejo o mundo e o mundo do vizinho.
Só não vejo o meu.

Olho um vazio.
E o vazio me engole.
Peço um gole de pinga
Tomo num trago.

A cada inveja,
Retribua um sorriso
Não sou um anjo,
Mas diante do amor de Deus
Calo-me.

Inserida por RubensSousa