Elizabeth Silva: Em meio a cidade,vejo prédios,carros,...

Em meio a cidade,vejo prédios,carros, pessoas e cada vez mais concreto e concreto.A cidade está tão cinza, o que aconteceu com as árvores?Elas não incomodavam ninguém e a sombra dela era boa...
Quanta gente!Você passa por milhares de pessoas todos os dias e no final não se lembra de nenhuma delas...quantas histórias que não foram contadas,quantas pessoas deixamos de conhecer por nos esconder debaixo da armadura que criamos...Mais para nos proteger de quê?....Ou melhor de quem?
Bom era o tempo em que sentávamos na porta de nossas casas para conversar com os vizinhos, ver a meninada brincando na rua e ver a vida passar de bicleta...A vida agora passa de metrô,trêm-bala,quanto mais rápido melhor!Será mesmo?Quem gosta de velocidade perde a beleza da paisagem do caminho,não aproveita o tempo para conversar consigo mesmo...Há quanto tempo não nos perguntamos o que queremos?E se perguntamos sabemos mesmo a resposta?
Sento, e por um momento vejo a vida passar por minha janela,pessoas voltando do trabalho ou sem a certeza de ter para onde voltar,todos humanos e como humanos precisando de um pouquinho de atenção...quando nos distânciamos tanto?Levantei,olhei para TV mas não quiz ligar,cansei de ver a vida via satélite,relacionamentos via-internet,pra que tanta via?Bom mesmo é sentir o calor humano nos abraços,beijos ou num simples aperto de mão...Não é a cidade que está cinza é a vida que está sem graça...sem cor,calor.No entanto,ainda tem as "graminhas" que surge entre o concreto e se mostram para o Sol para nos mostrar que a vida é persistência,é nunca desistir...é viver mesmo não tendo solo propício.

Inserida por Elizabeth.Cristina