Eduardo Pizzetti: Seja logo ao acordar Ou quando penso ao...

Seja logo ao acordar
Ou quando penso ao me deitar
Procuro respostas, preciso saber como me livrar
Dessa saudade que vem e que me bate
Que sem precedentes me invade
Forçando-me lembrar
De todos os gestos, e de todo o olhar...

Saudades de norte, saudades de sul
De céus estrelados, de noites em claro
De tardes tão quentes, de dias nublados
Saudades que vem de todos os lados
Para todos os lados, de ambos os lados
Do lado avesso, do lado contrário
Até mesmo que os mesmos sejam o mesmo lado

Ah! Essa tal mesmice que é a saudade
Por mais que mude a história, é sempre a mesma saudade
Passado, presente ou futuro, o que importa?
Se nem mesmo o passado com o tempo se importa
Sempre metido aparecendo no presente
E sempre afetando o futuro da gente

Saudade que vem, saudade que vai
Que por mais que se tente, nunca sai
Que por mais que se queira, nunca sai
Que por mais que se busque, nunca sai
"-Hei saudade, porque não me deixas?"
"-Porque sou a prova de que seu passado valeu a pena"
"-Porque sou tua alma dizendo para onde queres voltar"
"-E porque sou tua história, e por isso, nunca irei te deixar!"

Inserida por pizzetti