Larrosa: Não sejas nunca de tal forma que não...

Não sejas nunca de tal forma que não possas ser também de outra maneira.(...) E não perguntes quem és àquele que sabe a resposta, nem mesmo a essa parte de ti mesmo que sabe a resposta, porque a resposta pode matar a intensidade da pergunta e o que se agita nessa intensidade. Sê tu mesmo a pergunta.

Inserida por cinthia