Paulo Drummond: Sou um animal E não posso comigo. Não...

Sou um animal
E não posso comigo.
Não sou como a triste
Hiena que ri e este riso
É natureza da feia hiena.

Sou um animal que canta,
Que dança, que fala, que pensa.
Um animal criativo e rico de potenciais.
Mas minha melhor performance
Tem sido destruir.

Sou um animal
E não posso com meus iguais.
Muito menos com os meus diferentes.
Nem quero poder.

Faço sofrer e destruo meus iguais.
Faço sofrer e destruo meus diferentes.
Faço bem a guerra, não a paz.
Faço bem o escuro, não a luz.

Sou um animal
E como eu não há igual.
Nenhum outro animal
Devassa...

E assim vou desconstruindo o mundo,
E desfazendo o Equilíbrio Inicial.

Um dia ainda mastigo
O meu próprio estômago,
E me vomito eu mesmo,
Ou me engulo satisfeito.

Eu preciso tomar cuidado comigo...

Inserida por maybrandao