Bruno Oliveira: Mas, moça... Moça Do andar contido, do...

Mas, moça...

Moça
Do andar contido, do olhar remido
Como fazes isso comigo
Sem ao menos me esperar?

A vida nos reserva o tudo
E do nada que estava obscuro
Eu ainda não sei contar
Saberei um dia se deixares nossa vida não passar

Saber intimamente o que te aflige
O pensamento que rodeia
A felicidade que ainda existe
É meu, é nosso, ou de ninguém?

Anjo não vai embora
Enquanto não chega a hora
A hora não é agora,
mas moça tem que esperar

Inserida por bruno.violino