Isabel Rosete: Édipo… A trágica lembrança do amor...

Édipo…

A trágica lembrança
do amor maculado.

As mãos manchadas do sangue
do mesmo sangue,
por uma traição não premeditada.

A memória
de um pecado capital,

não mais compreendido
não mais perdoado.

Um amor proibido,
castrado
pelas teias da moralidade;

Um amor
pela Polis
punido,

que as leis dos deuses
não respeita mais.

Édipo…

A vileza inconsciente
de uma alma apaixonada,

condenada
aos degredos da dilaceração,
de uma morte não anunciada.

Uma alma repleta de dor,
que os olhos cega,
para não mais avistar…

Isabel Rosete
10/01/08
15/04/08

Inserida por isaroses