Adriano Saraiva: POESIA E PROZAC A gota d'água que...

POESIA E PROZAC

A gota d'água que transbordou
Um oceano de frustrações
O apodrecimento de frutos sazonados
Que despencam da árvore
Para se espatifarem no solo.

Bancário arrogante
Pretensioso escritor sem talento
Mais uma medíocre alma
A vagar por um mundo insano

Enquanto meus trabalhos literários
Eram devolvidos sucessivamente e
Se acumulavam numa montanha de tristezas
Ela experimentava muitos ricos

Aziagos pensamentos
A me fustigarem o orgulho
Na companhia do Prozac
Buscava as respostas
Nas garrafas de Jack Daniels

Inserida por Adrianosaraiva