Sofia M.: ESCADA EM CARACOL Abri os olhos e apenas...

ESCADA EM CARACOL


Abri os olhos e apenas me ouvi..ouvi o choro, ouvi o desespero.. Vi-me num mundo , num mundo diferente do qual me habituei, em 9 meses. Senti-me insegura, solitária, mesmo rodeada de indivíduos e sem ter a mínima noção de sentimento. Quis voar, gritar, sair dali.. Para mim, o mundo era imperfeito, era escuro, só, injusto.. Um espaço cheio de degraus…Degraus pequenos mas grandes para mim. Era apenas uma criança, incapaz de fazer algo, incapaz de viver, viver sem ninguém.. Olhei para cima, e via degraus ainda maiores, angustia, sofrimento..

De repente, alguém me olhou, tocou, marcou. Senti-me única, contente , o meu desespero fora-se por momentos..Parei, olhei, sorri. Não sabia o que significara tal gesto, não sabia o que pensar no momento. Preferi sorrir..O que significaria sorrir?

Fui pensando, fui crescendo, sem nunca ter conseguido responder a tal pergunta.

Um dia, tropecei num degrau, e quando ia a cair, algo me pegou, um corrimão surgiu..

Gritei, estava tonta de tantas curvas, de tantos degraus, de ver a mesma parede. Uma parede branca, sem algo mais. Fiquei em silêncio, e ouvi um grito. Ouvi um grito que ficou comigo em pensamento. Não o conseguia esquecer..

Deu-me força, coragem, esperança. Pensei que os degraus iriam diminuir e mais tarde acabar, que as curvas deixariam de existir. Então subi, subi, mas desiludi-me. Os degraus aumentaram , as curvas eram ainda maiores, senti-me só.

Um grito surgiu de novo, agarrei-me ao corrimão, olhei-o e pensei que não estava sozinha. Agarrei-me com força aquele corajoso corrimão que estava disposto a subir comigo.. e subi, subi e subi. Subi com força, garra, esperança, coragem e confiança. Tropecei vezes sem conta, vi os degraus a aumentar, vi as curvas enormes, mas não parei.. Olhei para cima, não via fim.

Parei, pensei.. Vi que aquela enorme parede não me abandonara, por mais simples que seja, ela não desistiu.. o corrimão não me deixou cair, nunca. Pensei que podia ser como eles, então corri… Vi uma luz, sorri. Sorri de novo, mas porquê?

Não desisti, corri e corri.. Acreditei e agora posso dizer que passei por todos aqueles degraus e nunca fiquei sozinha. Aprendi que os degraus não vão deixar de existir no resto do meu caminho e que as curvas se vão complicar mais, aprendi que vou ficar muito mais tonta mas não vou desistir.. Interroguei-me: ‘’Se fosse tudo a direito, qual seria a piada?’’ Olhei para baixo e vi que valeu a pena. Agora sei que as crianças são capazes de tudo e que vou ser sempre uma. Vou chegar ao alto e aí, vou gritar por ti.

O que é sorrir? Algo inexplicável, mas eu sei que o fiz. O meu sonho concretizou-se.

Inserida por sofia414