José Cícero de Matos: Muitas das vezes, as coisas nunca...

Muitas das vezes, as coisas nunca acontecem como desejamos; elas chegam espontâneas e sem compromissos. Resta-nos segura-las e dar o devido valor, caso contrário da outra vez será difícil de acontecer e, ficamos a bel prazer das reminiscências ocasionais.

Inserida por kierkegaard