Hélio Pereira Banhos: FOLHA DA ALMA Quando enlouqueceu, posse...

FOLHA DA ALMA
Quando enlouqueceu, posse na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
Tu vens... E, oh! Fina estranheza!
Respiro uma ilusão morta:
Sorrindo, minha tristeza lunar te abre a porta.
Sai de tua fonte de sonho.
O sonho é uma flor de cera chega...
Do que era tristonho que luz rosada nascera!
Mas em ti, a ilusão morta lembrou a sua estranheza;
Vem! São dois braços à porta da minha antiga tristeza.
Hélio Pereira Banhos

Inserida por leik