Eva Oliveira: Em busca da Esperança Assim crescemos...

Em busca da Esperança

Assim crescemos perante um Mundo de Amor que nossas adoradas mães plantaram em nosso caminho, ignorando que suas lágrimas vaticinavam desilusões nos sonhos que íamos edificando.

E PORQUÊ?

Tu que passas por mim e não me vês, porque te esqueces que já foste o que sou, a Esperança o Amanhã, olha à tua volta e vê a miséria que desbasta o Mundo pela pobreza de espírito em que muitos se deixam afundar, quando a opulência lhes cega os sentidos em detrimento dos que nada têm, e se tornam mais pobres que os pobres, quando a Razão os abandona desnudando-os de Sentimentos.

Esses sim, são pobres!

Nós, pobres filhos da vida que nada mais nos dá que as migalhas do teu orgulho, olhamos para ti que nos podes valer apenas com o incentivo de em nós acreditares incondicionalmente sem olhares à nossa côr, ao nosso credo, à nossa posição social ou a actos irreflectidos dos nossos antepassados que nós temos que aceitar quando tu condenas sem razão aparente, e lanças-nos num abismo de trevas sem futuro, repleto de lamentos, roubando-nos a inocência, desmoronando nossas fantasias e nossos sonhos que te prometem um Mundo melhor.

Passas por nós e não nos vês mesmo que te olhemos nos olhos, só porque não podemos comprar o que tu compras e te dá distinção.

Ensinas a teus filhos que se devem somente relacionar com gente da mesma estirpe e não com os que são da nossa laia e colocas-nos a um canto, porque os cantos têm menos amplitude esquecendo-te que todos temos o mesmo direito, pois somos todos iguais.

Pagas para que te socorram nas pequenas aflições, quando nós, quase morrendo, nos retiras o direito de um pouco de alívio.

Dás às tuas gerações futuros brilhantes, com a força e inteligência de muitos que tu fazes viver na obscuridade com receio de descobrirem que sem eles nada consegues.

És destaque e dos teus fazes notícia, porque não te vestes de serapilheira.
Colocam-te um tapete vermelho para realçar teu desfile e obrigam-nos a aplaudir-te.

Somos carne para canhão e tu és o herói que ganhas a guerra, quando nós nos negamos a enfrentar uma batalha que não é a nossa, mas a do teu inimigo, comum à nossa.
A pobreza, que te enriquecerá de gloria.

Cumprimentam-te porque o poder te ilumina quando nós não passamos de sombras obscuras do teu desdém.

Nem te lembras que Jesus por não ter nascido em berço de ouro também foi perseguido, quando na sua humildade ocultou ser o Rei do Universo. Esqueces-te que por detrás da humildade estão os mais altos valores.

Esqueces-te que sem nós não chegas a lado nenhum.

Não te pedimos muito!

Simplesmente igualdade e um sorriso de credibilidade para que nos sintamos Alguém neste mundo de Ninguém, pois nossa coragem e valentia levar-nos-ão até onde tu criaste o direito de só vós poderdes chegar, quando ainda há tanto para explorar e todos nós somos tão poucos e tão pequenos neste jovem Universo sem fim.

E para que um dia, já tarde de mais não te venhas a arrepender, perante a criança de outrora que
já deixou de o ser, a ele te venhas humilhar quando dele fores necessitar e de ti ele se venha a compadecer, guarda esta mensagem no teu coração.


Tentei ser luz no universo da tua existência, passei por sombra nada mais.

Tentei fazer-te ver que o Outro poderias ser tu, e Tu o Outro
Não passaram de sussurros para ti e nada mais.
Não ficaste atento a emoções, sentimentos,
Para ti eram simples lamentos
Minha vida foram mágoas nada mais.

Permaneci na penumbra dos teus sofrimentos
Sofri com lamentos, lágrimas e ais.
Quis moldar-te à minha inocência e aos meus sentimentos
Em troca de sentimentos aos meus iguais
Mas tudo foram suspiros e ais.

Tentei ser “ tu “, sem a mim dizer adeus
Vi meu coração perecer sufocado em ais.
Por me iludir em teus sentimentos que aos meus
Nunca chegariam a ser iguais.

Quis ser Futuro na tua vida, fui Esperança de outros a mim, iguais.
Sombra iluminada, por ti, obscurecida
Reavivada por outros demais.
Memórias de uma vida
Lamentos, mágoas, simples ais.


Para que a Vida não seja um mar de lamentações, mas um Éden promissor de muita Felicidade, vamos dar as mãos, espalhar a Paz e a igualdade, e olhar para os outros como nós sendo.

Mas olha para nós!

Olha-nos bem de frente, para nós um dia te darmos a confiança que em nós depositaste um dia também.

Inserida por fadaelfa