Eva Oliveira: AMOR “ Já o Sábio enlouquecia,...

AMOR
“ Já o Sábio enlouquecia, fazendo hipóteses sem conclusão.
Jogava os Sentimentos numa proveta, fazendo-os passar por um balão.
Lançava-lhes chama ardente, não consumiam.
Eram combustível, não eram combustão.
Os Sentimentos não ardiam, confundia-se-lhe a Razão.
Jogou-os ao ar, os deuses inalaram, Néctar puro duma paixão.
No Olimpo os deuses se amaram, Apolo nasceu de uma união.
Chamaram-lhe AMOR, paixão ardente, Néctar inebriante de uma emoção.
E o Sábio ficava louco, impaciente, em busca de uma solução.
Ignorava que estes ingredientes compostos por carinho, ternura e doação, eram simplesmente SENTIMENTOS, que só ardem no coração.
Nem hoje o Cientista tem explicações, ao dizer que o Amor acontece, diz que a “Razão tem razões, que a própria Razão desconhece".

Amor é paixão é alento
É significado sem pormenor
A Razão chama-lhe Sentimento
Por não lhe dar Significado Maior.

Inserida por fadaelfa