William Shakespeare: "SONETO LXXXVIII Quando me tratas...

"SONETO LXXXVIII
Quando me tratas mau e, desprezado,
Sinto que o meu valor vês com desdém,
Lutando contra mim, fico a teu lado
E, inda perjuro, provo que és um bem.
Conhecendo melhor meus próprios erros,
A te apoiar te ponho a par da história
De ocultas faltas, onde estou enfermo;
Então, ao me perder, tens toda a glória.
Mas lucro também tiro desse ofício:
Curvando sobre ti amor tamanho,
Mal que me faço me traz benefício,
Pois o que ganhas duas vezes ganho.
Assim é o meu amor e a ti o reporto:
Por ti todas as culpas eu suporto".

AMIGO, Quão Nobre, Hoje Sei, o Sentimento
que Em Ti Perdura Há Tanto, Perdoa-Me
Por Não Ter Confiado no " QUILATE DESTE AMOR ",
Já Que Não Há Mais Dúvidas,
Sinto Muito Mas Terá Que Me Ouvir , Ainda Durante....
TE AMO...!!! TE AMO...!!!! TE AMO...!!! TE AMO...!!!!

Inserida por suasemprelua