Paulo Master: Amor é pra sentir Volta correndo, vem...

Amor é pra sentir

Volta correndo, vem ver como você me deixou, mas não demora, porque meu coração já saiu do meu controle, e se bate eu não sei, só sei que pede por você.
Como foi covarde em fazer-te amar assim, e depois deixou-me á sombra da solidão, se sofro é por sua causa, e não aceito seu perdão se você junto não vier, preciso de você comigo.
Preciso do meu ar, preciso te encontrar, preciso de você, preciso não morrer, se amar é vida, porque você insiste em me entregar a morte?
Porque quebrastes os grilhões que me faziam feliz ao seu lado, porque deixastes a saudade com seu sarcasmo, me deixa ser denovo seu escravo.
Ser o meu amor, mas meu, o desamor em que lá no fundo do meu coração fizeste cravar e como tirar um sentimento que jogado foi, com tanto ardor.
Se tiras de mim essa vontade de você, como fazer então para pôr um amor em que nem se quer você me deixa te ceifar, ou mata o pouco que dentro de tí está.
Pobre de mim, que acreditei no amor, se de tantos amores que há no mundo, só o seu me veio infernizar, cadê as forças que sinto não me ajudar, sou pobre diabo, sou pano de trapo.
Não me negues um amor que eu tenho que sentir, pois se já não interesso para tí, pelo menos me devolva minha alegria, meu sorriso, devolve minha vida.
Mesmo por capricho volta pra mim, seja por piedade, sem saudade, sem amor, sem desejo, com com lampejo de um amor em que só quem sente sou eu.
Volta logo, volta sim, estou tão sofrido, jeito de menino despido, sentindo que o mundo me deixou sem sentido, sentindo o gosto do desgosto sal do desejo, jeito de solidão.
Se pudesse faria-te uma serenata, te cantava, te velava e fazia de suas noites, uma feliz madrugada com amor e a declaração desse alguém apaixonado, aquecendo seu coração congelado.
Sim, sozinho vou seguindo com você no pensamento, mas meu sentimento é o de estar ao seu lado, com seu carinho e sua mão em me ajudar á seguir e viver, sem mentir.
Se fosse pra viver isso nem vivia, sentir esse lado amargo de você nem sentia, seu desapego me deixa sem vida, esse amor juro nem queria.
Se prefiro morrer, o amor não se faz presente, se na sua frente me pôs á chorar, e você mais uma vez sem ter dó dessa vez não quis me aceitar.
É amor! amor com amor se paga, e você nem me afaga, como trocado de amor á me restabelecer, somente com desapego vem me fazer sofrer.
Cadê aquela linda flor, onde se encontra a mais bela rosa que como prosa me encantou, será que sobrou somente o desamor? amor é pra sentir, não me mate sem amor.

Inserida por Paulo-Santana