Isabel Rosete: A morte do outro Apraz-nos bem…...

A morte do outro
Apraz-nos bem…
Engrandece o Ego
Em busca de “auto-satisfação”…

Quem disse que o homem
Nasce naturalmente bom?

Quanta ilusão
Quanta alucinação,
Quanta aparência
Quanta insolência…

A finitude do outro
E do mesmo,
O acabamento
A aniquilação

Um outro espaço
Um outro lugar,
Um outro tempo
Uma outra vida…


Isabel Rosete
26/05/2007
15/01/08

Inserida por isaroses