Isabel Rosete: Amar… É o desespero De um coração...

Amar…
É o desespero
De um coração carente
À procura da outra metade
Que o complete…

Somos incapazes
De nos completar
Precisamos sempre de um outro
De qualquer outro
Que procuramos em nós…

Essa terrível e eterna
Dependência do outro
Que não conseguimos
Encontrar em nós …

Que desgraça
A do coração humano
Sempre em falta
Irremediavelmente só
E despedaçado

Lamenta,
Lamenta-se
Exclama
E proclama…

Não sabe estar só
Dialogar consigo…

Encontra
No seu âmago
O vazio
Do seu próprio preenchimento…

Amar…
É coisa dos homens
Seres solitários
Incapazes de percepcionar
A solidão como outra forma de amor

E isso não basta,
A estas criaturas errantes?

Não
Não basta…
Nada basta…

Há sempre um mais
Um depois
Que aflora
Em todos os pensamentos
Nos mais claros
Nos mais recônditos
Nos mais inconscientes….

Isabel Rosete
09/05/07
15/01/08

Inserida por isaroses