Paulo Master: Escrever... Escrever os sentimentos de...

Escrever...

Escrever os sentimentos de angustia, alegria ou amor.
Tristeza, como se escreve ou descreve a tristeza?
O que seria necessario para se ficar realmente triste?
Esforça-se para ser feliz, luta-se para se afastar da tristeza, compra-se uma briga com a dor, enclina-se ao máximo á felicidade e tudo pode ser descrito.
Todos sentimentos sempre opostos, mas existem todos aí, e agregam-se em um só coração.
Em um só corpo, não necessariamente ao mesmo tempo, mas sempre todos á seu tempo.
E alguns vem mistos como de um teste a resistencia de nossos sentimentos.
Corajosos somos nós seres humanos, que mesmo sabendo, mesmo tendo sentido o amargor de uma desilusão continuamos á amar, e amar, mais uma vez, depois outra como se não houvessem mais parametros para o amor.
Os parametros tem sentido quando existe a troca, e depois se percebe que essa troca não é o que desejamos e depois começa tudo denovo.
Sem perceber chegam Angustias, Alegrias e Amores e... inevitavelmente as dores.
Se não soubemos lidar com esses sentimentos o que estamos fazendo aqui?
então como ajudar um filho, um amigo ou á si mesmo quanto a isso, de que forma aceitar um vazio se no vazio é que estão os espaços necessarios para que entrem os outros sentimentos.
Tentando encontrar a descrição certa ou a forma perfeita vou escrevendo os anseios do meu coração.
Quem sabe em uma hora dessas lendo o que escrevo, encontre o que venho á procurar.
Ou depare com o meu pior erro, que seria o de estar fazendo o registro eterno dos acontecimentos da minha solidão.
Salvo que na vida se leva o que se vive e se vê o que se escreve, sentimento não é visto numa folha de papel.
Mas o sofrimento mesmo sem ser descrito, vem machucar e deixar seu legado de dor.
Escrever no papel de um corpo, pele sangrando e pedindo para parar, como seria bom dominar as coisas que sozinhas tomam conta do que não lhes pertence.
Sabendo que seria desnecessário ir até o final, mas como, se no fim, se encontra a felicidade.
Seria felicidade medíocre, a que faz sofrer primeiro, só para depois deixar sorrir, sem interesse, mas essa não podemos aceitar.
Então como escrever tal sentimento, que as vezes parece uma pedra á beira de um precipício, onde por descuido venhamos pisar.
Sentimento aparente, coisa que nem se sente, sem descrição ou forma, mas quando chega, transforma.
Sem saber como começar seria essas coisas que por ventura viria faltar, e escrevendo tais obras me ponho á chorar.

Inserida por Paulo-Santana