Desconhecido: “Estou farto. Farto da humanidade e de...

“Estou farto. Farto da humanidade e de todas as suas ramificações sebentas. Sendo o Homem uma criatura com vontades em que um dos seus instintos mais básicos é o egoísmo, nada mais podemos esperar senão uma constante guerra entre seres humanos lutando entre si pela preservação do seu eu, da sua representação do mundo e do seu caminho para a suposta felicidade. Estou farto deste erro que é a humanidade.
Estou farto de ver Homens matarem outros Homens em nome de deuses que nunca viram. Estou farto de ver todo o mal que o Homem trás por acréscimo a este Universo, como se o preexistente não bastasse: o mundo já é mau e cada um de nós só o torna pior. Estou farto de gente movida pelas massas, sem capacidade de juízo própria, quais peões num jogo de xadrez. Estou farto de, quem sabe, também eu não passar de um peão no jogo de alguém, uma marionete manipulada. Farto de se calhar nem um peão ou marionete ser, e isso se tornar ainda pior, pois um peão (ou uma marionete) ao menos tem um objetivo. Estou, agora, farto de objetivo. Farto do tempo, farto do espaço. Do cheio, do vazio. De deuses e demônios. Farto de conceitos e concepções humanas que me foram embutidas e com as quais terei que viver até ao maldito/bendito dia da minha morte. Estou farto de estar preso à vida e à morte. De cada um dos sentidos – visão, audição, olfato, paladar, tato (quem sabe mais?) – que me põe em contato com a realidade que me rodeia, fazendo com que eu crie a minha representação do meu mundo. Do tédio. Da dor e da felicidade que não chegará nunca. Farto da razão que me fez chegar a estas amargas conclusões. Estou farto do Universo, do mundo, da Terra, do meu país, da minha cidade, da minha rua, do maldito metro quadrado onde agora me encontro. Farto de estar farto. Da coerência e da incoerência. Da consciência e da inconsciência. Do que sou e do que não sou. Do que fui, do que serei e do que deveria ser. Da vida, da morte, da existência e do Universo, da não existência e do nada.”


"A verdade é que não há verdade."

Inserida por renatynha