Paulo Master: A conquista Em que meios ou segredos se...

A conquista

Em que meios ou segredos se encontram os encantos e desencantos de uma conquista?
E até que ponto uma pessoa se sente realmente e absolutamente conquistada?
E seria possível se medir e pesar o grau do poder de um conquistador?
Seria o conquistado aquele que se entrega totalmente ou que somente se deixa levar pela majestosa melodia da conquista.
Uma conquista é algo que nos deixa realmente feliz, quem é que não gosta de ser conquistado, e provar dos sabores de levar uma bela cantada, aquelas que elevam seu ego e faz-se sentir melhor e muito importante.
O mundo da conquista realmente é interessante, porque ou você sai felizinho ou seriamente machucado, e das outras hipóteses poderá até machucar alguém.
Amor não tem tempo á perder em decidir se um conquistador esta bem intencionado ou não, é necessário arriscar, esse é o jogo, e as regras são claras, amar sempre e incondicionalmente.
Depois sim, teremos tempo de ver as coisas acontecerem e saberemos o real motivo que culminou nessa conquista, e as consequencias teriam que ser as melhores possíveis ou o amor corre o sério risco de sair mal interpretado.
Pensamento positivo, mãos frias e suadas e um sorriso meio bobo, fazem dos conquistados presas fáceis aos comquistadores mais sagazes e competentes, eles prestão muita atenção nas reações de sua vítimas e atacam seu ponto fraco.
E como é gostoso ser atacado pelos nossos mais vulneraveis pontos dessa forma as conquistas tem um sabor a mais, sabor de quero mais, sabor de súplicas por se deixar desejar e se levar pelos caminhos magníficos do encantamento.
O relacionamento humano vem perdendo seu sentido, tenho notado que as pessoa estão se concentrando em outros interesses se não o do amor, que seria um condicionador da felicidade, e feliz fica como aquele que conquista uma casa ou um carro e não um grande Amor.
Notoriamente o valor distorcido dos bens materiais estão tomando muito espaço e convenhamos que fosse assim mesmo, vivemos hoje um mundo capitalista e não o anarquista como foi no tempo das grandes paixões.
Subir no lombo de um cavalo e tentar impulsiona-lo para frente sem a ajuda de uma corda ou de uma espora é dificil, bem como o amor dificilmente sobrevive sem uma situação financeira estável hoje em dia, infelizmente.
Somente as pessoas que se deixam querer realizar a arte da conquista sem um único tostão no bolso, e mesmo assim se saem muito bem, pois o verdadeiro conquistador que se preza usa artificios financeiros.
Somente os atributos do amor que elevam suas habilidades acima da cota de qualquer bolsa de valores, e nos relevantes oriundos do querer chegaria a valer mais que um carro importado, e suas lábias valeriam os mais desejosos sussurros de "quero você agora"!!.
É, não existe um não querer nas artimanhas criadas pela conquista, sempre ganha quem se interessa ou se deixa levar, e não aceita ser jogado no buraco do esquecimento, apenas sabe que amar é a melhor saida.
Devemos também imaginar que nas muitas das vezes, seriam as decepções passadas que fazem os conquistadores levarem a melhor, ou o pior pode acontecer nesse sentido.
O sentido é quem manda e desmanda, sabe até onde pode resistir um coração, diante de tanta clemencia por socorro e sedento de amor, se estiver carente pronto, será uma presa muito fácil.
Algumas vezes na vida, mal o coração se recupera de uma tragédia sentimental e vem uma outra promessa de amor eterno, mas como saber se não é uma armadilha de um conquistador?
Nunca saberemos quem fala á verdade nesse momento, se é o conquistador ou o coração, coração suplica pela volta do amor, e a razão pede um tempo pra pensar, mas tempo é o ultimo recurso e razão é perdida nessa hora.
Mas com uma boa dose de sabedoria saberemos definir com quem devemos ficar, e com certeza como nunca deveria faltar, o amor tem a preferencia, se deve correr o risco, sempre pelo amor vale á pena arriscar.

Inserida por Paulo-Santana