Rose Façanha: Passamos boa parte de nossas vidas...

Passamos boa parte de nossas vidas tentando descobrir o que somos e uma forma de representar o papel que escolhemos desempenhar...
Hoje eu descobri que não existe uma formula certa de como se deve ser... e que o meu eu foi construído na contradição de todas as certezas que já tive e que não tenho uma maneira de ser, mas sou as diversas maneiras possíveis de se ser...



Porque eu sou tão forte que posso assumir minhas fraquezas
Sou tão boa que quando má sou melhor ainda
Sou luz e ausência de claridade
Sou menina sem perder a responsabilidade e maturidade de uma mulher...
Sou atrapalhada mas sei seduzir
Posso te encantar com minhas brincadeiras infantis mas posso te enlouquecer com meus joguinhos adultos
Sou a verdade disfarçada a mentira sincera
Posso ser sua base e sei como abala-la
Sou o romantismo e a modernidade individualista ...
Sou a força que te rege e a força que te destrói
Sou a loucura lúcida destilando toda sua inconseqüência
Sou inocentemente maliciosa... e adoro essa ingenuidade
Sou a flor do campo com espinho no cabo
Desperto os mais sublimes sentimentos e seus terríveis consentimentos
Sou amor e sou desejo...
Sou alma e sou corpo
Odeio ficar sozinha mas não há companhia que me agrade
Sou a ferida e o remédio
Sou a beleza destilando seu charme no equivoco dos seus olhos
Sou a timidez extrovertida... e o silencio ininterrupto
Desvio os olhares mas não sou o centro das atenções
Sou a escolha mais lógica e a menos racional
A complicação e a perfeição
Sou o amor, coração, desejo, pele
Fixada ao presente mas nunca deixo de fazer planos para o amanhã
Posso não ser a construção do belo mas sei espalhar beleza
Tão altruísta que ao dizer isso me sinto muito egoísta
Sou a princesa plebéia
Sou a saudade no olhar, a distancia necessária... sou perdidamente encontrável
Sou manipulável e manipulada...
Adoro as diferenças do mundo e odeio o que elas causam
Adoro ser um mistério... adoro mais quando alguém o decifra
Adoro o colorido, o preto e branco e o púrpura...
Sou a felicidade triste e a tristeza mais feliz já existente
Sou a vida induzida, a bagunça organizada
O seu perdão e sua condenação
Sou a companhia agradável no fim de tarde... e a pior pessoa pela manha...
Sou o carinho gélido
A covinha no sorriso
Sou a lealdade nata descontraída na incerteza do pérfido
Sou a inconstância perseverante
Sou dominante e dominada
Sou calmaria, sou fera
Sou olhar doce misturado com a inquietude
Posso ser o certo e o imperfeito
O horizonte seguro na inconstância do meu ser
A personalidade formada totalmente indutiva
Sou eu assim na diversidade das minhas próprias palavras e na limitação das mesmas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Inserida por sourose