Antonia Moreira: Esta é uma Declaração Pública de...

Esta é uma Declaração Pública de Amor

Torno Público e que se publique :
"Eu te Amo"

Uma história se escreve dias após dias, encontros e desencontros, conquistas e algumas perdas.
Mas a nossa história, como diria o poeta :
“Estava escrito nas estrelas.”
Como as profecias do profeta, a se concretizar.
E como ele previu, o primeiro encontro foi de encantamento, de descobertas, de conversas ao ouvido,
segredos que há mais ninguém podiam se revelar.
No mesmo instante eu senti que:
”Eu sei que vou te amar”.
Tanta ternura em nossas manhãs de sol, na praça que adotei como nossa praça, onde crianças dividiam brinquedos, corriam felizes, comiam pipoca,
algodão doce, e sorriam, sorria o seu melhor sorriso.
Mas também tinha os dias de chuva, mas brincávamos em uma casa, onde os muros eram feitos de papoulas e apenas com um passo estávamos no jardim do vizinho.
Quantas tardes fugíamos 'a sala do cinema e disfarçarmos na saída para que o lanterninha não descobrisse que estivemos o tempo todo ali.
Vezes têm que penso em te deixar... E vou.
Recolho algumas lembranças, e disfarço a tristeza na despedida.
Preciso de um tempo para sentir saudades, ou seria para ir a outros encontros, a outros lugares?
Quero um pouco de silêncio, até para te entender melhor no dia que resolver voltar, e sei que vou voltar.
De longe tenho notícias suas.
O cenário é o mesmo. Os personagens muitos são os que já conheço.
Aparece um ou outro artista, querendo se fazer notar por ti.
E lá vai você, com seu charme, seu jeito de menino moleque, ou um galanteador nato, a cantar em prosa e versos a beleza das belas damas.
Na sua volúpia, debulhas em gracejos, estende tapete vermelho para quem passa por ti. Até oferece flores, bombons... e um sorriso malandro.
E despertas paixões, encontros furtivos, mal disfarçados.
Eu quero voltar... Talvez precise voltar.
Não tenho as expectativas de outrora, agora eu já te conheço o suficiente para caminhar por tuas ruas sem o medo de me perder.
Chego nas asas de um passarinho, o coração tranqüilo... Aprendi a mantê-lo sereno.
Acolhe-me com a mesma gentileza, e até sinto que também sentiste saudades.
Volto ao meu jardim onde esquecida num canteiro se encontra uma flor, quase a perder suas pétalas de saudades de seu beija-flor.
Acalma teu coração singela flor.
Eu estou de volta e vou cuidar de ti, e logo estarás vestida com seu melhor vestido, e seu amigo beija-flor a te namorar.
Ah... Não tens um belo vestido? Entendo... Queres vestiste da melhor seda...
Mas deixa eu te contar um segredo:
Teu amigo beija-flor, te ver como a mais bela flor, neste vestido de chita.
Quero voltar a construção da ponte sobre o mar para ir ao outro lado da rua. Agora sem pressa que o tempo me atropele. As amarras agora vou tecendo com serenidade. Fortalecendo os laços, antes frouxos pela minha impaciência na ânsia de chegar do outro lado, sem perceber que ainda não estava totalmente segura, e que poderia me machucar, ao tentar atravessa-la.
Como entendo bem quando Oswaldo Montenegro diz:
"Sempre , não é todo dia"
Sempre é por toda vida!
Assim fica proibido a partir desta data, duvidares do meu Amor.
Agora , que é notório o meu Amor por Você, só resta te dizer:
“EU SEI QUE VOU TE AMAR. POR TODA MINHA VIDA VOU TE AMAR.”
Eu te Amo, Meu RECIFE!

**************

Não quero tirar o melhor de si.
Quero comungar contigo o melhor de nós.

Antonia
Recife, 23/ outubro/2007

Inserida por Simplesmente